terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Quando os astros sabem o que fazem




Ontem foi dia de rever dois amigos do coração. É incrível como os astros sabem o que fazem. Um deles, o R., conheci-o na faculdade e ficámos amigos para a vida. Sensível, inteligente, bonito e muito humano, este é o R.. Daqueles amigos que não precisamos de estar juntos todos os dias para saber que o outro está sempre lá, incondicionalmente. O meu outro amigo, o P., conheci-o no meu ex-trabalho e percebi desde o primeiro dia que ele tinha tudo para ser uma estrela. Sabem aquelas pessoas que têm uma luz própria tão grande que não precisam de quase nada para brilharem e singrarem na vida? É o meu amigo P.

O que eu não sabia é que o mundo quando quer conspira apenas e só a favor das coisas boas. Surpreende-nos incrivelmente. Não precisei de os apresentar para que o R. e o P. se conhecessem e apaixonassem. O destino tratou de os juntar sem que eu tivesse de intervir, mesmo já conhecendo os dois. E o destino não poderia ter feito melhor trabalho. Ofereceu-me de uma só vez dois grandes amigos, agora de volta à minha vida com a novidade do ano.

É tão bom ver o brilho no olhar de duas pessoas apaixonadas que eu adoro e que merecem muito ser felizes. De coração, R. e P., como vos disse: Não poderia estar mais feliz de vos ter na minha vida, agora ao mesmo tempo e a cozinharem só para mim, como sempre, mas na mesma cozinha.

Sem comentários:

Publicar um comentário